(VÍDEO) Médicos despem-se para protestar na Espanha

0
336

Médicos despem-se para protestar contra a gestão da situação na pandemia do governo. Centenas de médicos e profissionais da saúde estão a protestar na Espanha a falta de estratégia das autoridades na pandemia atual.

O protesto sem precedente teve lugar em Barcelona. ​​Os médicos tiraram as suas roupas para mostrar que não podem aguentar mais e que a paciência deles acabou.

Porque é que tiraram a roupa?

Esses dias, os médicos despem-se para protestar, coisa que, também tem o seu significado. Os médicos criticam a falta de pessoal hospitalar. Além disso, eles denunciam o cansaço ao qual estão submetidos há mais de 7 meses. Eles afirmaram que tirar a roupa simbolizava a falta de proteção que sentiam indo ao trabalho cada dia.

Os médicos internos têm de ir entre três e cinco anos nos hospitais para se especializarem numa determinada área da medicina.

 Todavia, a pandemia obrigou muitos a interromperem o seu estágio. Vai demorar mais até eles ingressarem na linha de frente. Muitos não se sentem prontos para assumir as responsabilidades necessárias.

A falta de empatia que o governo catalão apresenta é uma das causas do protesto. Há muitos anos que os médicos internos ficam com o mesmo salário e turnos intermináveis.

Declaração do César Carballo, médico do Hospital Ramón y Cajal de Madrid:

Pensamos no primeiro dia quando nos tornámos médicos e enfermeiras. E lutamos, não com coragem, mas sim com o entusiasmo para aquilo para que preparámos tanto. Agora eu vi que é uma maratona e isso começa a ter efeitos psicológicos. A epidemia de 1918 deixou um ar de ansiedade e depressão na Europa que durou muitos anos. Demorou 4 ou 5 anos para essa passar e acho que será o mesmo agora

Os médicos catalães estão em greve há vários dias. O mesmo acontece com os médicos do 112 Madrid, que serão acompanhados no protesto pelos seus colegas de toda a região, escreve Mediafax.

Os efeitos psicológicos do movimento e da pandemia

Toda a sociedade espanhola junto a muitos funcionários do sistema de saúde estão agora a sofrer como se vivessem há um século. Os efeitos psicológicos chegaram a um nível extremo.

Nem o gelo nos proteja mais! Podemos encontrar o coronavírus ”vivo” nas embalagens de alimentos congelados.

Nos primeiros meses da pandemia, houve mais de 50.000 médicos infectados na Espanha. A missão deles era de combater a COVID-19 e sofreram pelo seu profesionalismo.

Tensão, demissões e cobardia

Durante a onda de protestos organizada pelos sindicatos dos médicos, vários diretores do governo regional de Madrid demitiram-se da gestão da administração de saúde.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here