Tragédia no Egito: vários mortos num acidente de helicóptero no Sinai

0
311
Egito
Fotografia: captura de ecrã do vídeo "U.S. Army Black Hawk helicopter crashes in Egypt" do canal US Military Today no Youtube

Tragédia no Egito: um helicóptero que transportava membros da força de paz MFO liderada pelos Estados Unidos caiu na quinta feira perto da cidade turística de Sharm el-Sheikh, matando sete soldados. Trata-se de cinco americanos, um francês e um checo, todos militares.

A Força Multinacional de Observadores (MFO) disse num comunicado que o acidente ocorreu durante uma missão de rotina perto de Sharm el-Sheikh, no Egito. Além disso, indicou que um membro americano da força responsável pela monitorização da paz entre Israel e Egito sobreviveu o acidente. Levaram-no para o tratar.

A investigação está em andamento

A FMO conduzirá uma investigação para determinar a causa do acidente, enfatizou o comunicado antes de acrescentar que neste momento não há informações que indiquem que a tragédia não foi um acidente.

2020 é um ano cheio de tragédias… Em Moçambique houve um massacre onde 20 pessoas foram decapitadas.

O helicóptero provavelmente caiu por causa duma falha mecânica. A MFO também elogiou a atitude cooperativa e o apoio do Egito e de Israel.

As reações não pararam

O presidente francês Emmanuel Macron disse num comunicado que chegou a saber com grande tristeza sobre a morte do tenente-coronel Sébastien Botta, oficial francês envolvido em operações no Sinai dentro da FMO.

O Departamento de Defesa dos Estados Unidos também expressou as suas condolências por meio de uma rede social: Ontem reconhecemos o sacrifício de milhões que defenderam a nossa nação, e hoje lembramos os nossos guerreiros que pagaram através dos seus serviços. Ofereço os meus pêsames do Departamento de Defesa para as famílias, amigos e colegas de equipa desses militares.

Ao mesmo tempo, o Departamento de Defesa queria acrescentar que a notícia inicial conforme à qual 6 americanos tinham morrido era falsa, e que 5 estavam de fato mortos e um deles escapou com vida.

1.100 soldados alistados na FMO

O Sinai foi palco de confrontos entre o Estado Hebraico e o Egito antes que os dois países assinassem a paz em 1979. Hoje, vários grupos armados abundam na península, incluindo o braço local da organização jihadista Estado Islâmico (IS).

Atualmente possui pouco mais de 1.100 soldados de várias nacionalidades, incluindo Austrália, Estados Unidos, Canadá e França.

Desde o início desta operação, cerca de 930 suspeitos combatentes islâmicos foram mortos junto com dezenas de pessoas de segurança, segundo aos dados militares egípcios.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here