(VÍDEO) PSG vs Istanbul Başakşehir, suspenso por causa do racismo

0
276
PSG Istanbul Başakşehir
Fotografia: captura de ecrã do vídeo "LISTEN TO ME!" Demba Ba furious in Paris after an incident during the game." do canal Virgin Media Sport no Youtube

Cenas chocantes aconteceram ontem à noite em Paris, na última fase dos grupos da Liga dos Campeões. O jogo entre PSG e Istanbul Başakşehir foi interrompido aos 14 minutos, depois suspenso, devido a uma afirmação racista do quarto árbitro da brigada romena, Sebastian Colțescu.

A noite de 8 de dezembro foi marcada por um momento extremamente triste na história do futebol europeu. A lema da UEFA “NO TO RACISM” foi destacada da forma mais forte e feia possível. Os jogadores do PSG e do İstanbul Başakşehir foram solidários e compreenderam a gravidade do momento, abandonando juntos o campo por causa de uma observação com tom racista pronunciada pelo quarto árbitro. Deixaram para trás um campo vazio, a decisão provando que o futebol não hesita em se revoltar contra o racismo.

O que desencadeou a revolta?

Tudo começou aos 16 minutos, quando Sebastian Colțescu pediu a Ovidiu Hațegan, o árbitro central, para intervir para acalmar o segundo treinador da equipa de Istambul, o ex-atacante camaronês Pierre Achille Webo. O motivo teria sido as suas reações veementes durante a partida, mas também a sua desaprovação das decisões dos árbitros.

Colțescu identificou o segundo técnico da seleção turca como “esse preto ali, esse preto”, e Hațegan deu-lhe um cartão vermelho, o que desencadeou o caos no campo.

O atacante franco-senegalês Demba Ba (reserva), ex-jogador do Chelsea, é quem percebeu que o comentário do árbitro romeno pode ter um caráter racista. Ele desceu da tribuna e começou a culpar o árbitro pelo erro, perguntando se ele se referia a um branco como “o branco” ou “essa cara”.

O staff da equipa campeã da Turquia, os seus jogadores, seguidos do PSG retiraram-se para o vestiário em protesto. Embora a UEFA tivesse se oferecido para substituir o quarto árbitro, a equipa turca se recusou a continuar a partida, alegando que querem Sebastian Colțescu completamente eliminado da equipa de arbitragem ao longo da partida.

As redes sociais, cheias de mensagens de solidariedade

Istanbul Başakşehir postou no Twitter o slogan da UEFA “Não ao Racismo, Respeito”.

Também o ministro do Desporto da Turquia, Mehmet Muharrem Kasapoglu, reagiu no Twitter, alegando que o racismo é um crime contra a humanidade.

Ao mesmo tempo, o presidente turco, Recep Tayyip Erdoğan, não hesitou em declarar o seu apoio:

A nossa representante condena veementemente as observações racistas feitas contra Pierre Webo, um membro da equipa técnica do Başakşehir, e acredito que a UEFA irá tomar as medidas necessárias. Somos incondicionalmente contra o racismo e a discriminação no desporto e em todas as áreas da vida. #Não ao racismo

As estrelas do PSG, Neymar e Kylian Mbappé, também expressaram a sua desaprovação ao racismo e à solidariedade com Webo.

A primeira reação da UEFA

A UEFA está ciente de um incidente ocorrido durante o jogo desta noite da Liga dos Campeões entre Paris Saint-Germain e o Istanbul Basaksehir e vai conduzir uma investigação completa. O racismo e a discriminação em todas as suas formas não têm lugar no futebol.
#Não ao racismo

A UEFA anunciou ainda esta manhã que o jogo recomeça na quarta-feira, a partir dos 15 minutos, e o central holandês Danny Makkelie será o árbitro da partida PSG vs Istanbul Başakşehir, no lugar de Ovidiu Hațegan e da equipa de arbitragem romena.

O holandês será auxiliado por um compatriota, Mario Diks, os poloneses Boniek e Frankowski, e Marco Di Bello e Maurizio Mariani foram nomeados para a arbitragem VAR.

Cristiano Ronaldo, de novo, envolvido num escándalo. Vê aqui os detalhes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here