O que NÃO devemos dizer às pessoas com ansiedade?

0
281
Ansiedade
Fotografia: pixabay.com

Há coisas que nunca temos que dizer a pessoas que sofrem de ansiedade. A ansiedade pode desencadear sofrimento em muitos planos: não apenas para a pessoa em questão, mas também para a família e os amigos chegados dela.

Assim, existe a posibilidade de que a maioria não saiba o que realmente está a acontecer. Muitos não conseguem entender a ansiedade ou não saiba como intervir. Embora as pessoas tenham boas intenções, se nunca experimentaram tais sentimentos, existe o risco de oferecer conselhos totalmente errados ou de agravar a situação e o estado da pessoa afetada.

O que é a ansiedade?

A ansiedade é uma emoção básica, necessária para sobreviver, que cada um de nós certamente já experimentou em algum momento. Todos tivemos que fazer um exame, dar uma entrevista ou ter uma reunião importante. Mas quando essa emoção atinge um nível severo de intensidade que se estende por um período longo de tempo ou mesmo se torna onipresente, pode afetar o poder de concentração, o apetite, o sono, as relações socias ou a qualidade da vida em geral.

Podemos descrever a ansiedade como um estado de inquietação sentido em todo o corpo, que enche a mente de dúvidas, preocupações, obsessões e negatividade sobre eventos futuros.

Quais são os sintomas da ansiedade?

  • pânico
  • medo de perder o controle
  • aumento da frequência cardíaca, sufocação, naúsea
  • hiperventilação
  • suor
  • tremores
  • falta de energia
  • problemas de atenção e concentração
  • problemas gastrointestinais
  • formigamento nas mãos e nos pés
  • desejo de evitar coisas que desencadeiam a ansiedade
  • inquietação permanente
  • fluxo abundante de pensamentos negativos

A ansiedade é a base dos bloqueios emocionais durante os exames

O que é um bloqueio emocional? Quando a ansiedade ultrapassa a limite, o cérebro percebe a situação como extremamente estressante, ameaçadora. Portanto, o cérebro exige a secreção de cortisol (hormônios do estresse) pelas glândulas supra-renais, tendo papel tóxico, chegando ao cérebro e ao centro nervoso do cérebro. Assim, os centros nervosos responsáveis ​​pela atenção e memória são inundados.

Ansiedade
Fotografia: pixabay.com

Agora que temos uma ideia geral sobre a ansiedade, podemos ver que palavras ou sintagmas devem ser evitadas numa conversa com uma pessoa que sofre por essa doença:

  • Acalma-te!

O problema da ansiedade é que ninguém pode controlá-la, apesar de todos os eforços. Quando uma pessoa ansiosa é aconselhada para se acalmar, duas coisas podem acontecer: ela vai fracassar e perder o controle ou vai reprimir os seus sentimentos sem que esses desapareçam. Portanto, devemos evitar pedir a uma pessoa que se acalme. Todos os sentimentos e sensações devem ser externalizados, não enterrados profundamente dentro de nós mesmos.

  • É canja sair deste estado, para de exagerar!

A ansiedade não é uma escolha e não é fácil livrar-se dela. A maioria acredita que precisa incentivar as pessoas ansiosas a superar aquele estado ou situação que as assusta, mas é uma coisa muito difícil. É impossível para alguém que não consegue respirar e que sente um medo terrível (que faz o seu corpo tremer) voltar aos seus sentidos. Em vez disso, poderíamos sugerir às pessoas que têm um episódio de ansiedade para fazerem exercícios de respiração, puxando e soltando o ar.

  • Há pessoas com problemas muito mais graves do que o teu. 

A ansiedade pode gerar muitos outros estados de ânimo e sentimentos como culpa, diminuição da autoconfiança ou vergonha. Ao dizer que há pessoas com problemas mais delicados, só minimizamos a credibilidade da pessoa afetada, desvalorizando-a. Essa afirmação pode afetar seriamente a maneira de pensar: aquela pessoa ansiosa vai ter sentimentos de vergonha e culpa por não poder valorizar o que tem, por não poder aproveitar a vida, chegando à conclusão de que o problema é realmente com ela. Está completamente errado!

  • Todo o mundo está ansioso. 

Uma outra afirmação que devemos evitar. Quando dizemos isso, apenas classificamos aquela pessoa como pessimista. Portanto, a fazemos pensar novamente que algo está errado com ela e vai sentir cada vez mais desconfortável pelo fato de colocar todo o mal na sua frente. Também deixamos a entender que a ansiedade é uma coisa comum e que o mundo tem que conviver com ela. Pelo contrário, devemos reconhecer e validar os sentimentos da pessoa que sofre de ansiedade, respeitar os seus medos e tentar ajudar sem minar a situação.

  • Eu também tenho ansiedade. 

Esta afirmação pode banalizar a ansiedade. Além disso, corres o risco de dar a sensação de que estás a pensar mais em ti mesmo, em vez de ouvir o outro.

Anualmente, cerca de 1/4 da população da Europa sofre de sintomas de ansiedade e depressão, de acordo com a Organização Mundial de Saúde.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ansiedade

Estás num ponto morto da tua vida? Aqui estão 5 conselhos para atravessar as situações difíceis da vida!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here