Fala Português! – o ensino do português na Roménia

0
742
Fala Português
Fala Português!

Encontrei a página “Fala Português” desde o primeiro ano da faculdade quando uma professora recomendou para mim. Então parecia-me tão difícil aprender a língua portuguesa e não pensava que posso falar fluente essa língua. Vi todas as fotos de Fala Português! com expressões idiomáticas úteis. Vi todos os vídeos nos quais eram explicados conceitos de língua que muitas vezes não entendia na faculdade.

Com a revista POV 21 fui provocada para dar a Fala Português! uma entrevista. Foi uma ideia maravilhosa porque encontrei atrás da página do Facebook uma senhora excelente. Ela foi disposta a responder a todas as perguntas. A sua motivação e paixão pela língua encorajou-me muito. Descobri uma pessoa dedicada, sincera que compartilha o seu amor pela língua. Faz isso com toda a dedicação que uma pessoa pode ter e com toda a criatividade possível.

Como começou “Fala Português”? – uma pequena história

Fala Português: Fala Português! é um projeto que foi concebido sobretudo como um espaço de exploração e de aprendizagem. Queríamos partilhar com os outros tudo aquilo que nos deixava ainda mais curiosos no que diz respeito à língua portuguesa. Foi assim que apareceu Fala Português!, resultado da curiosidade e do desejo de experimentar, sem ter medo dos erros que obviamente iam representar uma parte importantíssima nesta aventura.

Primeiro apareceu, timidamente, o blogue. Depois tivemos a primeira colaboração cultural com o Instituto de Arte de Nova Iorque – os produtores de New York Portuguese Short Film Festival e do Festival CPLP – que se tornaram nossos parceiros na realização das projeções desses festivais na Roménia. Em agosto de 2017 iniciamos as aulas de língua portuguesa que para nós é a dimensão mais importante da organização.

Por que quer ensinar a língua portuguesa na Roménia?

F.P.: A língua portuguesa é hipnotizante não só devido à sua musicalidade, mas sobretudo devido àquelas caraterísticas formais que a tornam num idioma único. Além disso, é uma língua que dá acesso a tantas outras culturas e a tantos outros mundos. Ao ensinarmos a língua e a cultura, o que mais nos interessa é mostrar o outro, aprender lidar com as diferenças, tentar ver o mundo de uma forma diferente. A língua portuguesa é uma ferramenta excelente neste sentido, dá para chegar aos quatro cantos do mundo.

O que acha sobre os estudantes? São pessoas que querem aprender esta língua?

F.P.: Os nossos alunos são pessoas maravilhosas e é sempre um prazer encontrá-los, mesmo de forma digital hoje em dia, devido à pandemia. São pessoas que decidiram reservar 4 horas por semana para se dedicarem ao estudo e a um mundo alheio. Querem aprender a língua para viajar, para conhecer melhor o mundo, para ler livros em português. São pessoas com personalidades únicas e fortes, tal como a língua portuguesa.

Em comparação com outras línguas consideradas obrigatórias para o mundo do trabalho, por muito que seja útil, a língua portuguesa continua (mas não por muito) ser vista como um luxo, uma língua que aprendemos puro e simplesmente por prazer. Mas imaginem, trabalhar o dia inteiro e depois conectar-se à Internet para participar numa aula que exige concentração (cada minuto é bem calculado e atentamente utilizado) não é fácil e isso diz muito sobre os nossos alunos.

Pode compartilhar alguns métodos que usa para ensinar português?

F.P.: Concentramo-nos muito no lado funcional e na dimensão pragmática. Como os nossos cursos não são destinados a filólogos, portanto a pessoas que têm formação na área da aprendizagem das línguas estrangeiras, o foco é mais na comunicação do que nos aspetos estruturais. Desenvolvemos todas as competências e utilizamos tanto materiais autênticos, como materiais realizados por nós também (gravações, fotografias, vídeos etc.).

O confinamento não trouxe muitas mudanças, embora agora as aulas sejam exclusivamente online. Faltam-nos as atividades que exigiam movimentação, mudanças de pares, de grupos. Mesmo assim, aproveitamos dos quartos virtuais propiciados pela tecnologia, das plataformas que ajudam com a realização de testes interativos, de vídeos e imagens cuja qualidade é bem diferente em comparação com uma projeção realizada numa sala de aulas.

Quais são os princípios de “Fala português”?

F.P.: Personalização – não há grupo igual a outro, portanto os materiais didáticos que utilizamos durante as aulas passam sempre por um processo de transformação de turma para turma. Os alunos têm ritmos de aprendizagem diferentes, portanto é importante acompanhá-los e adaptá-los em função das necessidades deles.

Quanto mais erros – Nas nossas escolas (romenas) a ideia de errar é algo tabu, por assim dizer, mas os erros são fundamentais no processo de aprendizagem. Enquanto não errarmos, não poderemos evoluir, não conseguiremos desenvolver resiliência, resistência, perseverança, não aprenderemos o que significa a tolerância. A perfeição é uma noção que pertence só àqueles que nunca metem as mãos na massa ou àqueles que só falam a língua materna (e nem sempre bem).

Exploração – é importante que a curiosidade dos alunos seja estimulada. Não é suficiente os professores apresentarem vários assuntos culturais, históricos, políticos durante as aulas. É preciso incentivar os alunos e torná-los em aprendizes independentes, por isso eles mesmos devem fazer pesquisas sobre certos temas e agirem como detetives.

Trabalho em equipa – não só devido às teorias que apoiam esta ideia, mas também porque aprender uma língua estrangeira é aprender a comunicar com o outro. Mais do que isso, é algo que não se aprende na escola e é lamentável porque saber lidar com os outros é uma competência fundamental na vida.

Criatividade e conhecimento – aprender uma língua implica um pouco de «engenharia», por assim dizer. É um processo de identificação de padrões e de utilização criativa dos recursos linguísticos já conhecidos. Portanto, para nós é importante os alunos utilizarem a informação nova de forma criativa e tentarem explorar quanto mais possibilidades certas de ponto de vista gramatical e aceitáveis de ponto de vista social.

Se quer adicionar alguma coisa.

F.P.: Agradecemos mais uma vez o convite. Não é fácil começar um projeto novo, mas o início é sempre o período mais agradável, mais intenso e mais arriscado. Depois há outras etapas, igualmente importantes, mas que têm outra intensidade, outra profundidade e um toque bem diferente. Parabéns e votos de até 1.000.000 leitores únicos por dia!

Também te pode interessar este artigo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here