Um pedido especial do Natal

0
304
Natal
Fotografia: pixabay.com

Conta-se uma lenda que em um lugar muito especial existia um templo. Durante a época do Natal recebia a visita de um anjo que descia do céu e vinha buscar os pedidos dos moradores daquele lugar e aquele que era escolhido para anotar os pedidos teria como graça ser o primeiro a ser atendido e o poder de sentir em seu coração quais os pedidos que deveria anotar.

Os sábios e sacerdotes se reuniam durante uma semana em jejum e oração para escolher em segredo aquele que escreveria no pergaminho sagrado os pedidos. Durante aquele ano foi escolhido um homem próspero de elevada cultura e conhecimento com uma grandiosa família e com uma riqueza incalculável, mas que também era conhecido por nunca estar satisfeito e vivia sempre inquieto querendo mais e mais.

Chegando-se a data estipulada, lá foi ele colocado atrás do altar, escondido de uma maneira que nem ele sabia quem pedia e o que orava não sabia quem anotava. Quando o templo foi aberto começaram entrar os moradores e se colocaram a orar, foi quando ele ouviu em seu coração a voz de uma criança que chorando dizia:

– Bondoso Pai que estais no céu, só te peço Senhor, que tu me dês uma família, pois nunca conheci meus pais nem irmãos e vivo sozinho a vagar pelo mundo.

Quando ele começou a anotar tal pedido seu coração chorou por que lembrou que já fazia muito tempo que ele não visitava seus irmãos distantes. Embora os anos tivessem lhe abençoado, ele nem sequer sabia se algum familiar seu estava precisando de sua ajuda ou se ficou sabendo nada fez para ajudar por que não encontrou tempo em seus afazeres. Lembrou de seus filhos que sempre lhe pediam atenção e carinho, de sua esposa que muitas vezes só conseguia vê-lo na hora de dormir devido seus muitos compromissos e de não ter tempo para ela.

Ao terminar a anotação, ouviu uma voz que pedia:

– Bondoso Pai que estais no céu só te peço Senhor que um dia eu possa ter alimento, casa e roupas quentes para poder saciar a fome e abrigar do frio a mim e a todos que amo.

Quando ele começou a anotar tal pedido, seu coração chorou por que lembrou que muitas vezes ele se recusava comer certos alimentos por simplesmente não estar de seu agrado. Seguidamente, ele reclamava de suas roupas porque elas não estavam apresentadas como ele queria e sempre achava que sua casa era pequena e pouco luxuosa para abrigar sua riqueza.

Ao terminar a anotação, ouviu uma voz que pedia:

– Bondoso Pai que estais nos céus só te peço Senhor que um dia eu possa enxergar para poder ver tua criação e caminhar para encontrar aos que amo.

Quando ele começou anotar o pedido, seu coração chorou porque durante toda a sua vida jamais tinha parado para admirar o céu, as flores, os campos, os pássaros, jamais viu um amanhecer, o pôr do sol, o sorriso de uma criança, a dança do mar, a magia da chuva. Notou que jamais foi atrás de um amigo que sumiu, de um irmão que partiu, de um filho que chorou injustamente, simplesmente para dizer perdão, eu te amo.

Ao terminar a anotação, ouviu uma voz que pedia:

– Bondoso Pai que estais no céu, só te peço Senhor que eu tenha mais um segundo de vida e fique curado de minha enfermidade para que eu possa agora realmente viver e ter uma nova chance de acertar.

Quando ele começou anotar tal pedido seu coração chorou porque mesmo tendo uma saúde perfeita, sempre estava reclamando, cobrando, querendo atingir metas. Nunca tinha tempo para reconhecer e acertar seus erros como pessoa, que sempre viveu sendo o que sua profissão exigia, que fosse deixando de lado aquela criança que existia dentro dele.

Por isso, o sorriso não era comum em seu rosto. O brilho de seus olhos já não mais emanavam a paz e o amor de um sonhador. Notou que sua vida estava superficial, pois era o tempo todo o profissional que se esqueceu da pessoa dentro dele.

Ao terminar a anotação ouviu uma voz que pedia:

– Bondoso Pai que estais no céu, só te peço Senhor que nunca me falte a humildade, amor, paz, longanimidade, mansidão, domínio próprio,bondade, fidelidade e a simplicidade de coração.

Quando ele começou anotar o pedido seu coração chorou, porque se lembrou que passou a olhar os outros com soberba e orgulho, pois se considerava superior pela riqueza que possuía e pelo conhecimento adquirido. Não tinha mais a humildade de pedir desculpas, de cumprimentar com sinceridade um servo, de perdoar quem lhe tivesse ofendido, de ajudar quem precisasse, de chorar com os que choram e se alegrar com os que se alegram. Notou que seu coração perdeu a simplicidade e se tornou prático, visando somente seu bem estar e por isso ficou frio e insensível. Naquele momento o anjo apareceu e pediu que ele anotasse seu pedido juntamente com os demais.

Então ele chorando escreveu:

– Pai Bondoso que estais nos céus, só te peço perdão por que sempre fui um abençoado e cheio de tua graça mas, jamais enxerguei a Ti, por que me esqueci de mim e do próximo, que eu possa me desprender de tudo que me destes ,pois tudo aqui vai ficar para que um dia eu volte ao Teu lado de onde eu sai.

Aquele homem teve sua riqueza e sabedoria multiplicada porque descobriu que enquanto neste mundo O Deus Pai nos abençoa e cuida de nós e mesmo que não vejamos suas bênçãos ele espera que um dia nos voltemos a Ele através do seu filho Jesus Cristo. Diz a lenda que quando você terminar de ler este texto é por que o anjo quer levar seu pedido ao Deus Pai, então feche seus olhos e peça com seu coração.

Também te pode interessar o artigo Harry e Meghan, um conto de fadas contemporâneo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here